Eu Mulher

 In Mulher Melhor

O lá meninas, garotas, mulheres, enfim, você que, assim como eu, a.d.o.r.a.m a ideia e o fato de existirem e embelezarem o circulo do sexo feminino. Certa vez, enquanto me via conversar com um grupo de garotas, um amigo me disse que era nítido o fato de eu gostar tanto de ser menina. Confesso que nunca havia notado, mas assim como faço com a grande maioria dos comentários que recebo sobre mim, comecei a refletir melhor sobre o assunto e a partir daí descobri um grande amor e desejo de estudo ao Universo Feminino.

O que buscamos? O que queremos? O que usamos para medir nossa felicidade? O que nos satisfaz? O que pensamos sobre nós mesmas? O que sentimos sobre nós mesmas? Qual o tipo de relação que temos conosco? São tantas perguntas e tão poucas respostas que acabam por não serem buscadas devido à correria do dia a dia e aos muitos papéis que nos foram atribuídos pela vida: filha, namorada, esposa, mãe, profissional, entre tantos outros que assumimos constantemente.

A busca desses questionamentos me fez chegar a uma conclusão: queremos ser melhores, mulheres melhores. Mas melhores em que? Como já dizia uma canção do J Quest “Melhores no amor, melhores na dor, melhores em tudo”. Descobri que não queremos deixar de sofrer, mas desejamos entender como o passar pelos momentos dolorosos sem assumir comportamentos devastadores capazes de deixar destroços pelo resto da vida.

Como alcançar este objetivo? Somos tão complicadas. Meu objetivo não é chegar à uma resposta que nem mesmo grandes cientistas chegaram, mas é , junto com vocês, encontrar a maneira de viver a vida que consiga mais me fazer feliz, me fazer sorrir, enfim. O físico mundialmente famoso Stephen Hawking quando questionado sobre qual enigma mais tem consumido seu tempo ultimamente. Em vez de falar sobre partículas elementares, aceleradores de prótons ou nanotecnologia, disse: “Mulheres! Elas são um completo mistério”.

Podemos pensar que estamos falando de alguém racional, incapaz de entender mulheres, por serem estas extremamente emocionais, porém Sigmund Freud, o pai da psicanálise, o precursor de grandes teorias da Psicologia, alguém que passou a vida estudando o comportamento humano, após ter dedicado grande parte desses estudos tentando entender o mundo feminino disse: “a grande pergunta que nunca foi respondida e que eu ainda não consegui encontrar uma resposta mesmo após meus 30 anos de estudo sobre a alma feminina é: ‘o que uma mulher quer?’”.

Compreendem que nem Hawking e nem Freud com todo seu QI conseguiram obter a resposta? Tão pouco nós conseguiremos, por isso já nos basta apenas conseguir nos ver, saber dar nomes aos sentimentos e comportamentos para então sermos melhores.

Mas os pobres homens, como conseguirão permanecer com a missão impossível de tentar decifrar o código secreto das mulheres? À eles quero apenas compartilhar uma conclusão a que cheguei recentemente Mulheres não foram feitas para serem entendidas, mas sim para serem amadas.

  • Andréa Bomfim
    Andréa Bomfim Pastora

    Andréa Bomfim, natural do Estado de São Paulo, casada com Anderson Bomfim, pais da Giovanna, Olivia e Pietra Bomfim. Residentes colaboradores de um presbitério local na cidade de Curitiba-PR. Fundadora da Missão Mobilização, é Psicologa e pedagoga, servindo em várias localidades do Brasil com mulheres através do programa Mulher Melhor, com seminários, palestras, aconselhamento, além trabalhar com ensino social e profissionalizante para adolescentes e jovens.

Contate-nos

Não estamos por perto no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e vamos retornar o mais breve possível .

Not readable? Change text.