Uma Vida de Fé

 Em Artigos

A vida é constituída por aquilo que é sua razão de viver. – Rabino Jonathan Sacks

Gostaria de compartilhar sobre uma perspectiva de vida, analisando se recorremos a fé apenas em momentos específicos da vida ou se vivemos uma vida de fé. Hb 2.4 traz a seguinte afirmação:

Ficarei em meu posto de guarda; eu me posicionarei na fortificação. Olharei para ver o que Deus dirá por meu intermédio e o que responderei quando for reprovado. Então Adonai respondeu-me, ele disse: Escreva claramente a visão em tábuas, para que mesmo um corredor possa lê-la. Pois a visão OBJETIVA UM TEMPO ESPECÍFICO; ela fala do fim e não mente. Pode demorar um pouco, MAS ESPERE POR ELA; com certeza, ela virá, não se atrasará. “Olhem o orgulhoso: ele não é interiormente justo; mas o justo obterá a vida por meio da fidelidade confiante.

Algo que gostaria de destacar neste texto é o fato de que ele aponta para o ciclo da emunah, que corrobora com o que Paulo escreveu aos Rm 10.17 que a fé é gerada pela comunicação do Eterno sendo aperfeiçoada à medida que nos envolvemos com o que foi dito, até que a palavra encontre sua estação de cumprimento. Desta forma, confiança é a chave para nos mantermos focados no que precisa ser feito entre estes dois momentos. Um outro ponto é que Habacuque retrata neste texto dois tipos de atitudes opostas: a postura do orgulhoso que não tem retidão moral, pois a sua vida está centralizada em si próprio, e a postura do justo, que encontra na emunah uma fonte de vida. Mas o que é ser alguém justo? Justo é aquele que é justificado, ou seja, alguém declarado sem culpa e que procede com justiça. Ser justo neste caso, tem a ver com estar em uma posição correta diante de Deus. Lembramos que Hb 11.6 afirma que sem fé é impossível agradar a Deus, sendo pois a emunah um componente importante do estar na posição correta diante de Deus, porque está diretamente ligada a maneira como me relaciono com o governo soberano de Deus no dia-a-da.

“EMUNAH NÃO É APENAS CRER EM ALGO, É MANTER O CORAÇÃO CONECTADO AO QUE FOI DITO E ATENTO AO TEMPO EXATO DO CUMPRIMENTO DO QUE FOI DECLARADO.”

A raiz da palavra emunah significa fidelidade, confiança, estabilidade, firmeza. É uma palavra derivada da palavra “aman”, da qual também deriva a palavra “emeth”, que significa verdade, referindo ao que foi dito. Neste texto, vemos um apontamento sobre qual deve ser a nossa postura diante do que ouvimos da parte do Eterno: manter o coração conectado ao que foi dito, relembrar constantemente as palavras ditas para manter a mensagem viva em nossa memória e interagir ativamente com a mensagem, esperando que o tempo de cumprimento da visão chegue.

O DESENVOLVIMENTO DA EMUNAH

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas.  – Mt 23.23

A emunah não é um item opcional em nossa relação com Deus, é uma parte essencial, pois ela é o componente que determina o tipo de relacionamento que temos com Deus. Quando a fé é presente somente quando precisamos de algo de Deus, significa que nossa relação com Ele é utilitária e egoísta. Todavia, quando usamos a fé como uma base do nosso relacionamento pessoal e contínuo com Deus, trilhamos o caminho de conhecer a Ele, e na medida que respondemos aos estímulos do Eterno a emunah é desenvolvida em nós. Este desenvolvimento possui níveis e dentro de cada nível há medidas diárias que precisam ser alcançadas e acrescentadas em nós. O primeiro nível da emunah pode ser resumido na expressão: Isso é o que Deus quer.

AQUELE TEM TEM EMUNAH É ALGUÉM QUE SABE QUE AQUILO QUE O ETERNO DISSE É UMA VERDADE ABSOLUTA, POR ISSO NÃO LUTA CONTRA ELA.

Este nível envolve a compreensão de que a palavra do Eterno é uma verdade absoluta, sendo uma das bases de sua operação de governo. Deus não apenas fala daquilo que é verdadeiro, Ele é a própria verdade. Lutar contra Deus é resistir a verdade de quem Ele é e do que ele deseja. O orgulhoso luta contra Deus porque só faz o que é conveniente a si mesmo, enquanto que o justo se mantém em uma posição correta diante de Deus porque se rende ao que Ele diz. Neste nível da fé, vencemos o mundo pela maneira com que nos rendemos a verdade de Deus.

Pois assim diz o Altíssimo, o Exaltado, o que vive para sempre, cujo nome é Santa: “Vivo em um lugar alto e santo, mas também com o contrito e humilde, a fim de avivar o espírito do humilde e o coração do contrito” – Is 57.15

O trono será estabelecido pela graça, e nele, na tenda de David, um juiz honesto se sentará, procurando justiça e buscando a retidão. – Is 16.5

Retidão e justiça são os fundamentos de teu trono; graça e verdade estão diante de ti. – Sl 89.14

Avançamos assim para um outro nível, onde a frase que resume a medida que precisamos alcançar nela é: Tudo o que o Eterno faz é para o nosso bem. Enquanto no primeiro nível precisamos nos render, neste nível somos estimulados a crescer na relação com o Eterno, não mais nos ofendendo pela maneira com o Eterno realiza suas obras em nós. Uma dificuldade natural que temos, e que a medida que amadurecemos em nossa relação com Ele isso é abandonado de forma progressiva, é que muitas vezes interpretamos o que Ele disse a partir das circunstâncias que estamos vivendo. Neste momento corremos o risco de relativizar o absoluto e tornar absoluto o relativo. Mas como? Olhe essa dinâmica: Aquilo que o Eterno diz é uma verdade absoluta, mas quando eu condiciono o que Ele disse a minha maneira atual de pensar eu relativizo a sua palavra.

Ele os humilhou, permitindo que vocês se tornassem famintos, e então os alimentou com o man – desconhecido por vocês e por seus antepassados – , para fazê-los entender que nem só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca de Adonai. – Dt 8.3

Enquanto no primeiro nível precisamos nos render, neste nível somos estimulados a crescer na relação com o Eterno, não mais nos ofendendo pela maneira com o Eterno realiza suas obras em nós. Uma dificuldade natural que temos, e que a medida que amadurecemos em nossa relação com Ele isso é abandonado de forma progressiva, é que muitas vezes interpretamos o que Ele disse a partir das circunstâncias que estamos vivendo. Neste momento corremos o risco de relativizar o absoluto e tornar absoluto o relativo. Mas como? Olhe essa dinâmica: Aquilo que o Eterno diz é uma verdade absoluta, mas quando eu condiciono o que Ele disse a minha maneira atual de pensar eu relativizo a sua palavra.

EMUNAH ESTÁ RELACIONADA A QUANTO ACEITAMOS O DOMÍNIO DE DEUS SOBRE TUDO.

Agora, quando eu afirmo que aquilo que eu entendi é o que Ele disse, eu assumo como uma verdade absoluta o que é relativo a minha maneira de pensar. Certamente quando isto acontece, Ele ofenderá nossa mente, não porque Ele é mal, mas porque é desta maneira que Ele irá corrigir nosso pensamento sobre o que foi de fato dito, e Ele continuará ofendendo até nos rendermos a Verdade.

Sh`ma, Yisra´el! Adonai Eloheinu, Adonai echad (Ouça, Yisra´el! Adonai, nosso Deus, Adonai é um); e ame Adonai, seu Deus, com todo o seu coração, com todo o seu ser e com toda a sua capacidade. Dt 6.4

Porque somos feitos por Deus, criados em união com o Messias Yeshua para a vida de boas ações, JA PREPARADAS por Deus para serem realizadas por nós. – Ef 2.10

Nestes textos encontramos o ponto que nos conecta ao terceiro nível da emunah, onde agora nos aplicamos a pergunta: Se Ele é a Verdade absoluta e tudo o que ele faz é para nosso bem, o que Ele quer de mim? Em Ef 2.10 aparece a palavra proteimazo que traz o sentido de preparar antes, que deriva da palavra hetoimazo que significa deixar tudo pronto, fazer as preparações necessárias, a qual vêm da palavra heteos que carrega em seu significado o sentido de uma aptidão.

EMUNAH ESTÁ RELACIONADA A VIVERMOS DENTRO DE UM PADRÃO JÁ ESTABELECIDO PELO PRÓPRIO DEUS, PARA CUMPRIRMOS O QUE DE ANTEMÃO ESTÁ DESIGNADO A NOSSO RESPEITO.

Veja que interessante: Yeshua afirmou que amar a Deus é obedecer aos seus mandamentos (Jo 14.21), e que Ele vivia para cumprir a vontade de Deus (Jo 4.34), afirmando que existiam obras específicas que Deus já havia designado a respeito de Yeshua, que é da mesma forma comunicada a nós por Paulo em sua carta a comunidade de Éfeso, nos mostrando que há uma  vontade declarada de Deus sobre o seu propósito a nosso respeito. Para que possamos cumprir o que ja está preparado, precisamos de recursos ou capacidades para tal, o que também está contido na palavra barak (abençoar) de Gn 1.28, que significa que o próprio Deus concede ao homem as capacidades ou aptidões para que se tornem plenos dentro da sua relação com Ele e assim possam cumprir de forma específica e temporal o plano de Deus para suas vidas. Estas são as obras, as realizações específicas designadas para cada um de nós, que Ele já preparou antes de nascermos. Por isso, vemos que a pessoa que desenvolveu na sua vida este nível de emunah se torna alguém que não procura coisas para fazer para Deus, mas se ocupa em buscar o entendimento de quais coisas e dos tempos que o Eterno já designou para que elas fossem realizadas.

A EMUNAH NÃO É UM CONCEITO

Todos eles tiveram mérito reconhecido por causa da confiança. Entretanto, não receberam o que lhes fora prometido, porque Deus planejou algo melhor, que nos envolveria de forma tal que apenas conosco eles alcançariam o objetivo. Portanto, pelo fato de estarmos cercados por uma nuvem tão grande de testemunhas, ponhamos de lado qualquer impedimento – isto é, o pecado que facilmente impede nosso avanço – e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, contemplando o autor e consumador de nossa confiança, Yeshua (Hb 11.39 a 12.2).

A palavra usada neste texto para autor é archegos que é derivada da palavra archê que significa a origem, a causa ativa, o primeiro. Vimos que a emunah é como nos relacionamos com a Verdade de quem Deus é de quanto confiamos que o que Ele disse é algo absoluto. Mesmo que minha maneira de pensar é um resultado da minha visão de mundo, e a medida de minha visão de mundo é ampliada meu pensamento é expandido, preciso compreender que aquilo que Ele disse sempre será maior do que posso entender hoje. Ai entra um outro aspecto da relação da emunah com a pessoa de Yeshua. A palvra usada para consumador é teleiotes que é derivada da palavra teleio que significa tornar perfeito, acrescentar o que falta para tornar completo, aperfeiçoar. Sujeitar o pensamento atual a Yeshua é permitir que Ele amplie diariamente nosso pensamento a respeito do que o Eterno disse, o que vai ampliando e aperfeiçoando nossa confiança nEle. Além disso, precisamos resgatar aqui um princípio de continuidade, que a história está sendo escrita muito antes de nós. E nesta história contínua, muitos homens não alcançaram a promessa que estava sobre eles, mas que aqueles que na atualidade tem Emunah e por isso são aperfeiçoados por Yeshua, se tornam o meio pelo qual aqueles que o antecederam possam ser aperfeiçoados.

De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tiver ações que a comprovem? (…) a fé por si mesma, senão for acompanhada de ações, está morta. Mas alguém dirá que você tem fé, e eu tenho ações concretas. Mostre-me essa sua fé sem atos, e eu lhe mostrarei minha fé por intermédio das minhas ações! Você crê que Deus é um? Que vantagem há nisso? Os demônios creem nisso também – esse pensamento os faz tremer de medo! Entretanto, insensato, quer certificar-se de que a fé sem ações concretas é estéril? Não foi Avraham avinu, declarado justo por causa de seus atos quando ofereceu seu filho Yitz´chak sobre o altar? Você pode ver que a fé cooperou com as ações; mediante as ações, a fé foi completada; e a passagem do Tanakh que diz: Avraham teve fé em Deus, e isso foi creditado em sua conta como justiça, e foi cumprida. Ele foi chamado até mesmo de amigo de Deus. Vejam que uma pessoa e declarada justa por causa de suas ações, e não apenas por causa da fé. – Tg 2.14-24

Se vocês são filhos de Avraham, façam as obras que ele fez! – Jo 8.39

Precisamos ter a consciência que a fé não é estática, ela é dinâmica, constante e progressiva. Muitas vezes recorremos a fé somente em momentos da vida, quando na verdade, precisamos torná-la ativa no cotidiano da vida, pois é ela que nos mantém em movimento dentro daquilo que Deus está movimentando em nosso tempo. Não significa apenas crer que Deus é capaz de fazer algo em um determinado momento de crise ou de necessidade, mas é manter o coração conectado ao tempo exato do cumprimento daquilo que foi dito. A emunah tem origem em Yeshua, a Palavra Viva, e tem sua completude Nele. A medida que nos envolvemos com as ações que de antemão nos foram designadas pelo Eterno somos aperfeiçoados pelo próprio Yeshua. Por isso, emunah está relacionada à nossa resposta a Soberania do Eterno na história global e em nossa história pessoal.

A Providência Divina existe para nos ajudar a cumprir nossa missão. A Providência Divina não apenas determina acontecimentos numa escola global, como também dita os menores detalhes do universo – Rabino Shalom Arush

Nosso desejo é que possamos a cada manhã nos render a vontade diária do Eterno para nossas vidas e que ao final da tarde possamos encontrá-lo para nos apresentarmos com os frutos daquilo que alcançamos Nele, por meio Dele e para Ele, o que resultará em que nosso dia seja contado, nos permitindo assim, avançarmos no desenvolvimento de um coração sábio e cheio de emunah.

  • Marcelo Souza
    Marcelo Souza Mentor & Adviser

    Marcelo Souza, natural de Curitiba, casado com Zélia Souza e pai da Júlia.  Founder da empresa Illumine Coaching coopera com o desenvolvimento de pessoas e empresas em todo o Brasil. A base de seu trabalho é a convergência à princípios que regulamentam tudo e que possibilitam o alcance de resultados excelentes, consistentes e sustentáveis. Sua metodologia de trabalho é voltada para o desenvolvimento da integralidade da vida, ampliação de competências, mobilização de mentalidade corporativa e consolidação de equipes de trabalho. Juntamente com sua esposa, integra a equipe da Missão Mobilização, organização voltada para desenvolvimento humano integral, mobilização cultural e edificação social, além de atuar no Conselho Deliberativo da Acridas – Associação Cristã de Assistência Social, organização não governamental de acolhimento institucional e familiar de crianças em situações de risco e que também atua no combate e prevenção da violência contra crianças e adolescentes .

Contate-nos

Não estamos por perto no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e vamos retornar o mais breve possível .

Not readable? Change text.