A Lei do Amor e a Origem do Medo

 In Artigos

D eus é amor. Ama tudo o que faz e tudo o que faz expressa seu amor. O amor é a base da aliança. Provê, protege e posiciona. Deus amou e proveu ao homem de todas as arvores frutíferas livremente ( Gênesis 2:7 Então o Senhor Deus for­mou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente. ). O homem tinha tudo que precisava. Tudo livremente. Deus amou e protegeu estabelecendo limites para preservar a essência, identidade, propósito e missão ( Gênesis 2:16 E o Senhor Deus ordenou ao homem: Coma livre­mente de qual­quer árvore do jardim. ). Dessa forma, manter sua posição e capacidade de exercer autoridade dominando sobre tudo. O amor é a lei do Reino. O amor está com a profundidade da simplicidade, a pureza da verdade. O amor edifica um lugar seguro.

O homem estava totalmente envolvido com esse lugar de completude chamado prazer (Éden), até que houve uma distração. Algo ganhou seus olhos, colocou a prova sua convicção, plantou uma dúvida em seus pensamentos, despertou um desejo além dos limites, convenceu de que tinha uma necessidade, declarou uma nova verdade, então, concebido o pecado, surge um novo homem e uma nova realidade ( Gênesis 3:6 Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o e o deu a seu marido, que comeu também. ). Seus olhos se abriram para um novo mundo onde se vê a partir de si mesmo. Quando ouviram a voz do Senhor que andava pelo jardim se esconderam. Porque agora estavam dominados pelo medo. Não eram mais governados pelo amor. Não viam mais nada como antes. A viva presença de Deus se torna ameaça de morte. Esse novo homem perde sua essência e lugar original, passando a conviver com o medo. Essa mudança trouxe inversão de valores e realidade.

A origem do Medo

O homem não precisava possuir nada para ser feliz. Era completo, tinha tudo livremente. O despertar do desejo pelo ter e saber além dos limites descobriu a dúvida e o exilou ao mundo da escassez e do medo. O desejo de ter mais o fez perder tudo. A concupiscência que move o mundo segundo 1 João 2:15, foi inaugurada quando Adão e Eva acreditaram que precisavam mais do conhecimento do bem e do mal do que a árvore da vida, quando não confiaram na provisão e proteção de Deus, quando foram iludidos pela aparência do bem, quando desejaram sem limites o que parecia bom para se comer, dar conhecimento e ser como Deus, autônomo, independente, senhor dos próprios pensamentos e caminhos. O homem se tornou egoísta, pensando em seus próprios interesses, soberbo, ressentido, indiferente com a injustiça, passou a nutrir seus pensamentos e intenções do coração com tudo aquilo que não é o amor, que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta ( 1 Coríntios 13:4-7 O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. ). Por isso, quando Deus dá os dez mandamentos a Moisés tem como objetivo restabelecer a base e os limites da aliança. Primeiramente estabelece a base do amor e depois coloca limites a cobiça do homem (Êxodo 20).

O homem original foi enganado por uma sabedoria ilusória, falsa prudência e mentirosa intensão de empreender e exercer sua vocação ( 1 Timóteo 2:14 E Adão não foi enganado, mas sim a mulher que, tendo sido enganada, se tornou transgressora. ). Sua mente foi contaminada, corrompida, infectada, perdeu sua pureza, simplicidade ( 2 Coríntios 11:3 O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo. ). O homem chamado para dominar agora é dominado.

Esse homem original legalizou uma nova ordem conhecida como império das trevas, um poder que atua a partir da obediência pelo medo ( Efésios 2:2 nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência. ). Desde os dias de Egito até o Império Romano, vemos um povo que se vê obrigado a sujeitar-se pelo medo e não pelo amor. Assim operam impérios. Todos nós nascemos dessa estrutura comprometida, como filhos do medo. Sujeitos a ser escravo por toda a vida por causa do medo da morte ( Hebreus 2:15 e libertasse aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte. ).

O Governo do Amor

A única maneira de triunfar sobre o medo é voltando a ser governado pelo amor. O medo pode estar pelas ruas da cidade, mas nosso coração deve ser governado pelo amor. Isso só é possível quando somos transportados ao lugar original. Paulo declara em Colossenses 1:13: “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados”. Cristo se manifestou para nos libertar de todo poder que atua pelo medo.

Libertar significa chamar para fora, declarar o fim de um poder dominador, nos levar a um novo lugar espiritual, uma nova realidade dentro de nós, o Reino do Filho do seu amor, lugar onde voltamos a ser governados pelo amor e não mais pelo medo.

Deus amou sem medida ao ponto de dar seu Filho como resgate para que a criação e a humanidade não perecesse no sentido de sair inteiramente do caminho, tornando-se vazia e sem propósito, em ruínas condenada a miséria, morte e destruição ( João 3:16 Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. ). Amou para salvar e salvou para o propósito de sermos a imagem do seu Filho (Romanos 8:29), recebermos adoção de filhos e nunca mais se sujeitar ao espirito de escravidão que domina pelo medo ( Romanos 8:15 Pois vocês não receberam um espírito que os escravize para novamente temerem, mas receberam o Espírito que os torna filhos por adoção, por meio do qual clamamos: Aba, Pai. ). Cristo se manifestou para trazer o Éden dentro de um novo homem para poder dominar sobre uma nova terra. O caminho da redenção e consumação.

O fato é que “no amor não existe medo”, isso quer dizer que se há medo o amor do Pai não está em nós. “O perfeito amor lança fora todo medo”. Estamos diante de elementos excludentes, a presença de um determina a ausência do outro. Se o perfeito amor do Pai governa nosso coração, não há motivo para ter medo. O medo produz tormento, reprime, restringe, controla a mente e todo poder de decisão, traz perturbação interior, sensação de perigo. O medo faz com que nos tornemos um ninho de águias com asas cortadas.

O Domínio do Medo

Aquele que vive no medo não pode ser aperfeiçoado no amor ( 1 João 4:18 No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. ). O Reino do amor triunfa sobre todo medo. O amor do Pai restaura a simplicidade e a pureza, restaura a capacidade de cultivar, cumprir vocação e experimentar sua provisão. Voltamos a acreditar que nosso Pai sabe de tudo que precisamos ( Mateus 6:32 Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. ), porque quem se preocupa ao ponto de viver ansioso, dividido, movido pelo medo da necessidade não conhece o amor do Pai. A verdade é que “todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor” ( 1 João 4:7 Amados, amemos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. ). Governados pelo amor voltamos a acreditar na sua proteção, assim como Noé, estamos construindo sobre a palavra que trará salvação a nossa casa. Edificados sobre a Rocha (Mateus 7), retendo em nós pela graça um Reino inabalável (Hebreus 12). Voltamos a acreditar que toda autoridade no céu e na terra está sobre o Cristo, Filho de Deus que ordenou nos tornar testemunho desse governo do amor a todos os homens.

A lei do amor estabelece novos limites ao medo, anula sua legalidade. Sejamos renascidos filhos de Deus governados pelo amor. Aqueles que cumprem o mandamento são discípulos, nascidos, não mais considerados servos, mas amigos ( João 15:12-15 O meu mandamento é este: Amem-se uns aos outros como eu os amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos. Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu ordeno. Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu tornei conhecido a vocês. ). Homens de novo coração, novo espírito.

A estes homens Deus dá seu Espírito e faz com andem e cumpram seu mandamento ( Ezequiel 36:26-27 Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e, em troca, darei um coração de carne. Porei o meu Espírito em vocês e os levarei a agir segundo os meus decretos e a obedecer fielmente às minhas leis. ). Não por força, mas pelo Espírito. Amamos porque Ele nos amou primeiro, amamos porque Ele é amor e seu Espírito está em nós. Esse amor lança fora todo medo. Aprenda a legislar sobre seu próprio coração, coloque limites ao medo. Não ande ansioso por nada, isso não quer dizer que não terá problemas, mas faça tudo conhecido diante do seu Pai com orações, suplicas e ações de graça, isso manterá sua confiança “Nele” e trará paz e estabilidade ao seu interior ( Filipenses 4:6 Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. ). Manterá você governado pelo amor.

O amor protege, é prudente, evita perigos. Ser prudente não significa ter medo. Paulo aconselha seu discípulo a fugir das suas próprias paixões, isso não significa ter medo, mas ser prudente, seguindo a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor ( 2 Timóteo 2:22 Fuja dos desejos malignos da juventude e siga a justiça, a fé, o amor e a paz, com aqueles que, de coração puro, invocam o Senhor. ). Aprenda a viver em contentamento. Paulo fala sobre aprender a viver contente em toda e qualquer situação, em todas as circunstancias, declara: “tudo posso naquele que me fortalece” ( Filipenses 4:11 Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. ). Paulo é governado pelo amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Lembre-se sempre que o amor é maior. O amor é mais forte que a morte. A geração dos vencedores será conhecida por não amar suas próprias vidas diante da morte. O amor venceu. Somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou, que nada na terra ou no céu podem nos separar do amor de Deus que está em Cristo, nosso Senhor ( Romanos 8:37 Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. ). Sejamos governados pelo amor…

Quer saber mais?

Quer saber mais sobre a Lei do Amor? Nós temos um curso inteiro sobre esse tema e outros. Clique aqui e venha mudar sua perspectiva sobre a vida cristã.

  • Anderson Bomfim
    Anderson Bomfim Pastor

    Anderson Bomfim natural do Estado de São Paulo, casado com Andréa Bomfim, pais da Giovanna, Olívia e Pietra Bomfim, residentes colaboradores de um presbitério local na cidade de Curitiba-PR. Fundadores da Missão Mobilização e Co-fundadores do CEIFAR-MG (Centro integrado de Formação e aperfeiçoamento para a Restauração). Desde 1999 tem procurado servir mobilizando e aperfeiçoando através de escolas modulares, conferencias e discipulado, cooperando junto com outras expressões ministeriais sobre a palavra de serem um, atuando em várias localidades com o mesmo propósito de Reino

Contate-nos

Não estamos por perto no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e vamos retornar o mais breve possível .

Not readable? Change text. captcha txt