Esperar é caminhar

Gênesis 10.31 fala que os filhos de Sem foram ordenados segundo suas famílias e suas línguas, em suas terras. Gênesis 11 fala da torre de Babel, cujo princípio se deu por meio de Ninrode, um “homem poderoso na terra” (Gênesis 10.8). Babel vem de Bab-Ilu “porta do El”, a porta de Deus, um lugar de comunicação com Deus e a palavra confusão vem de Balal “Misturar para confundir” (Jogo de palavras).

O projeto que deveria representar uma PORTA PARA DEUS se torna um lugar de confusão. Porque ali é onde se mistura a vontade de Deus com a vontade do homem. Uma iníciativa de muita articulação e mobilização em prol de “tocar os céus” para estabelecer seu próprio nome, seu próprio povo na sua própria terra. Uma mobilização tão poderosa que nada na terra poderia para-os. Então, Deus visita a cidade dos homens.

Quando Deus visita a cidade traz confusão em tudo que está sendo feito fora do seu plano e tudo que parece infalível, seguro, poderoso,impossível de dar errado acaba entrando em falência. As cidades dos homens estão vivendo dias de confusão de linguagem e visão. Muitos estão se sentindo pressionados a terem que fazer algo, se envolverem em algo, mostrarem algo, construírem algo. Será seguro agir na confusão de tantas vozes?

Nesse contexto encontramos Abrão, filho de Terá, da região de Ur dos Caldeus, um grande centro considerado “Mãe das civilizações do Oriente”, região conhecida por homens sábios. Nesse contexto Terá estava se movimentando rumo a Canaã, porém morreu em Harã. Assim termina o Capítulo 11. Um homem entendido sabia para onde estava indo, cujo o nome significa “demora”, morrendo num lugar cujo o nome significa “lugar seco”. Não teria a melhor maneira de resumir o resultado de iniciativas sem direção divina. Pessoas que sabem para onde estão indo, chegando a lugar nenhum.

Em Genesis 12: “disse o Senhor a Abraão: sai…”. Em meio à confusão de tantas vozes, cobranças e movimentações cheias de expectativas e cogitações humanas, um homem ouviu Deus. Precisamos aprender a esperar pela palavra que nos colocará em movimento. Abraão não sabia para onde estava indo, mas chegou onde deveria chegar. Iniciativas humanas misturadas com diretivas divinas resultaram em confusão. Não temos mais tempo a perder. Saber como esperar pode nos fazer ganhar tempo. Esse “esperar” não representa assumir uma posição passiva, mas uma disposição de coração onde “Esperar é caminhar”.

Lendo alguns artigos encontrei uma definição interessante de Christofher Walker; “Esperar é dar tempo para que Ele nos fale, cultivar sua presença para descobrir seus intentos. Esperar é abandonar idéias, projetos e esforços humanos, entregar toda iniciativa a Deus. Aguardar na sua presença pela palavra de ordem”.

Talvez a última coisa que queríamos nesse momento é esperar, mas a melhor coisa que muitos homens fizeram para serem relevantes foi esperar. Para muitos, essa diretiva não funciona, e por isso insistem em agir no silêncio de Deus.  “Esperar” para “ouvir” não se trata de o Espírito de Deus responder responder tudo que queremos saber, mas trata-se de buscar ouvir aquilo que é importante saber “agora”. Nossa falta de resposta pode ser resultado das nossas perguntas erradas. Estamos entre as primeiras palavras e a continuidade das primeiras ações. No momento que aparentemente nada acontece, há uma progressão por meio de ciclos, que exige de nós continuidade.

Já passamos do tempo de cada um se definir. Agora Deus está trazendo definições (Genesis 11), chamando-nos para atuar em um novo ambiente com nova mentalidade (Gênesis 12). Esse esperar é convicção de que Ele está fazendo algo “agora”, esperar é o ponto de partida para agir na força do seu poder. Salmo 27:14 diz: “Espera pelo SENHOR, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor”. Salmos 31:24 diz: “Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor”. Esperar traz fortalecimento Nele, nos condiciona para aquilo que está por vir.

Existem muitos salmos que falam sobre essa “espera”, mas a questão é; o homem que mais fala sobre “Esperar” é aquele que alcançou mais relevância profética nas coisas que fez “Nele”. Davi aprendeu a esperar e serviu sua geração segundo o desígnio de Deus (Atos 13.36). Vejamos esse “esperar” como o meio de caminhar na força dele.

Isaias 40:26 diz: “Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam”. Esperar Nele, traz renovação de forças, nos leva além das nossas possibilidades, além de todos que caminham na sua própria força, e entendimento. É ter acesso aos recursos e possibilidades de Deus. Nosso Deus não se cansa e assim como Ele pensa, assim executa (Isaías 14:24).

Em Atos 1, Yeshua durante quarenta dias fala sobre o Reino, provavelmente palavras relativas a Mateus 28 e Marcos 16, palavras diretivas quanto ao comissionamento apostólico, porém, antes de fazer qualquer coisa com relação a isso, deveriam esperar em Jerusalém. Uma espera que ao mesmo tempo era busca. Foram provavelmente dez dias (Dias entre a páscoa e pentecostes). Perseverarem na busca pela espera do Espírito Santo foi determinante para que cumprissem a grande comissão e se tornassem testemunhas aos confins da terra.

“Eis que as primeiras predições já se cumpriram, e novas coisas eu vos anuncio; e, antes que sucedam, eu vo-las farei ouvir” (Isaías 42:9). Esperar é procurar saber o que já foi falado, discernir o que já se cumpriu, para então, ouvirmos coisas novas e entendermos o fundamento necessário para o que há de se cumprir. Esperar nos colocar em movimento.

Trata-se apenas de uma palavra de encorajamento. Não quero mais me sentir pressionado por iniciativas desprovidas de diretivas divinas. Quando Abraão não esperou gerou um Ismael, a figura daquilo que é feito segundo a própria força, de forma misturada, vontade de Deus e a vontade do homem, e o resultado disso foi silencio de Deus  e “confusão”. Que nossos corações e mentes sejam guardados em Cristo Jesus. Procuremos por essa espera perseverante, porque esperar Nele é caminhar.

  • Anderson Bomfim
    Anderson Bomfim Pastor

    Anderson Bomfim natural do Estado de São Paulo, casado com Andréa Bomfim, pais da Giovanna, Olívia e Pietra Bomfim, residentes colaboradores de um presbitério local na cidade de Curitiba-PR. Fundadores da Missão Mobilização e Co-fundadores do CEIFAR-MG (Centro integrado de Formação e aperfeiçoamento para a Restauração). Desde 1999 tem procurado servir mobilizando e aperfeiçoando através de escolas modulares, conferencias e discipulado, cooperando junto com outras expressões ministeriais sobre a palavra de serem um, atuando em várias localidades com o mesmo propósito de Reino

Contate-nos

Não estamos por perto no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e vamos retornar o mais breve possível .

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt
0